quinta-feira, 4 de setembro de 2008

51

..."Trago-te debaixo da minha pele.Apanhaste-me desprevenido.Atingiste-me o coração, pecado meu. E agora é tarde para tudo senão para escrever. O teu coração tão branco a bater perto de mim. Embora o não ouvisse sei que estava lá."...
Pedro Paixão, "Ladrão de Fogo"

navego. o Mar é o meu segundo elemento. gosto dele infinitamente. preciso de o sentir por perto, de o ouvir, de o cheirar. sem ele a minha vida fica mais vazia e a minha cabeça mais longe, dispersa, sem rumo.

navego. descubro que existe vida a circular em espaços não visíveis. navego num mar de nomes, de pessoas, que como eu navegam no seu silêncio, na busca de palavras suas e de outros.

navego. descubro espaços onde gosto de me sentar a ler. a pensar. a fazer sala sem ter sido convidada.

navego. neste mar descarrego pensamentos e ansiedades. desejo não perder as minhas palavras e poder continuar a escrever e a ser lida.

navego e descubro. E aí vai ele!...Patti

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Venho agradecer a sua visita e comentário. Muito obrigada!

Gi disse...

Eu também já cá estive ... no post 40. :)

Alfonso Lagarto, Conde de Marialva disse...

Obrigado!

Muito bonito o teu texto.
*